Lições bíblicas

REFLEXÃO DOMINICAL - ANO B

Ano A | Ano B | Ano C | 

Domingo XII do Tempo Comum

O relato (do Evangelho deste Domingo) não é uma história tranquilizante para consolar os cristãos de hoje com a promessa de uma protecção divina que permita à Igreja passear tranquila através da história. É o chamamento decisivo de Jesus, para que façamos com Ele a travessia em tempos difíceis: “Porque sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?”

Domingo XI do Tempo Comum

O Reino de Deus requer a nossa colaboração, mas é sobretudo iniciativa e dom do Senhor. A nossa obra frágil, aparentemente pequenina face aos problemas do mundo, se for inserida na de Deus não receia as dificuldades.

Domingo X do Tempo Comum

As leituras deste domingo apresentam-nos duas figuras antagónicas que se combatem mutuamente: Jesus e o demónio. Personificam duas realidades que são muito antigas e sempre atuais: o bem e o mal.

Solenidade do Corpo e Sangue de Cristo

A Eucaristia faz a Igreja. Antes de morrer, Jesus pede pela unidade: “Que todos sejam um, como Tu, ó Pai, estás em Mim e Eu em Ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que Tu me enviaste” (Jo. 17, 21).

Solenidade da Santíssima Trindade

A celebração da Santíssima Trindade convida-nos a celebrar algumas características ou atributos divinos que só o Cristianismo (nas suas várias tradições) captou na leitura e meditação da revelação divina, sem que nenhuma outra fé monoteísta (judaísmo e islamismo) tenha lá chegado.

Domingo de Pentecostes

A Igreja no Pentecostes reconhece a sua primeira obra – o anúncio – os Apóstolos não preparam uma estratégia, não preparam um plano pastoral, não dividem as pessoas por grupos segundo os vários povos, não se mantêm fechados no cenáculo, pois o Espírito Santo não lhes permite isso.

Domingo da Ascensão do Senhor

O evangelista Marcos apresenta a Ascensão de Jesus ao Céu no contexto da missão dada aos Apóstolos. Não se trata de contemplar o triunfo de Cristo, mas de continuar a sua missão na terra, levando a mensagem do Evangelho até aos confins do mundo.

VI Domingo de Páscoa

Chamados ao amor: somos seres de relação, só existimos em relação com os outros. O segredo da felicidade é o amor. Encontramos esta mensagem no Evangelho de hoje.

V Domingo da Páscoa

A alegoria da videira e dos ramos (Jo 15, 1-8), deste Domingo, é tão bela e luminosa que domina a nossa atenção. O pano de fundo para a solene afirmação de Jesus: Eu sou a videira verdadeira, bem poderia ser a representação de uma videira de ouro com ramos e cachos, que, segundo conta Flávio Josefo, estava representada sobre a porta principal do Templo, em Jerusalém.

IV Domingo da Páscoa

Hoje celebramos o Domingo do Bom Pastor e o 58.º Dia Mundial de Oração pelas Vocações ... Jesus, bom observador do que O rodeava, conhecia a vida de pastor, e assim aplica essa imagem a Si mesmo: “Eu sou o Bom Pastor”

III Domingo da Páscoa

No evangelho deste III Domingo da Páscoa somos designados como «testemunhas» dos acontecimentos de Jesus Cristo. Isto é, somos chamados a envolver-nos de tal modo na história e na vida de Jesus, a ponto de a fazermos nossa, para a transmitir aos outros, não através de discursos inflamados ou esgotados, mas com a vida!

II Domingo da Páscoa

É nesta esperança viva que o Senhor nos convoca e é pela sua grande misericórdia manifestada pela sua Ressurreição que ganhamos folgo para nos enchermos da verdadeira Alegria, esta mesma alegria que é provada e submetida às intempéries da vida

Domingo de Páscoa

Celebrar a festa da Páscoa é professar publicamente que Jesus está vivo e a bela história de amor que Ele começou, continua a ser escrita por mim e por ti, por todos os batizados. Sejamos todos portadoras da Boa Nova.

Sexta-feira Santa

Hoje, ao celebrarmos Sexta-feira Santa, temos em conta todas estas cruzes. E valorizamo-las porque Jesus acabou a sua vida numa Cruz. E é essa que dá sentido às nossas. É claro que não as procuramos, mas também não as ignoramos, não as desprezamos nem recusamos.

Quinta-feira Santa

Toda a espiritualidade deste dia, 5ª feira Santa, convida o cristão a ir beber à fonte do mistério eucarístico que é Cristo: foi Ele quem instituiu a Eucaristia, foi Ele quem inaugurou o sacerdócio da Nova Aliança, foi Ele quem deixou aos seus seguidores o legado do amor e do serviço, que simbolicamente a Igreja representa no rito do lava-pés.

Domingo de Ramos

No relato da paixão em São Marcos, admiramos um Jesus que permanece em silêncio, abandonado por todos, em estreita união ao Pai a quem chama “abbá”, (que em aramaico, quer dizer papá ou paizinho) e que leva a uma impressionante proclamação de fé por parte de um pagão, o centurião romano: “Verdadeiramente este homem é o Filho de Deus”.

V Domingo da Quaresma

Quando alguém tem o desejo de ver Jesus, isso pode ser o início de uma grande surpresa. Com efeito, nos dias de hoje, a indiferença religiosa tem necessidade de um copo de sede em ordem a um copo de água. O simpatizante que, pela mediação da Igreja, desperta para a fé, tem pela frente um misterioso caminho na descoberta do mistério de Cristo.

IV Domingo de Quaresma

Jesus: sim ou não? Crer ou não crer: aceitar ou não aceitar; ouvir ou não ouvir. A pessoa de Jesus atravessa a história. De um modo ou de outro, é rara a pessoa que não se cruza com Ele e sinta obrigação de fazer uma escolha, clara ou implícita: sim, não, talvez, deixa para lá, não me incomodes, não me interessa.

III Domingo da Quaresma

A atitude de Jesus, narrada no Evangelho de hoje, exorta-nos a levar a nossa vida não à procura de benefícios ou interesses pessoais, mas a glória de Deus, que é o amor. Somos chamados a ter sempre presentes aquelas palavras incisivas de Jesus: “Tirai tudo isto daqui; não façais da casa de meu Pai casa de comércio!” (v. 16)

II Domingo da Quaresma

Estamos na 2ª etapa desta grande “maratona” espiritual que mobiliza toda a Comunidade cristã para a celebração da Páscoa. Os textos de hoje dizem-nos como Deus se dá a conhecer, se vai revelando gradualmente e sempre a partir da experiência pessoal daquele a quem se revela.

D. César.jpg

D. Augusto César

Bispo emérito (vicentino)

Albertino Gonçalves

Padre Vicentino

pe. álvaro.jpg

Álvaro Cunha

Padre Vicentino

bruno.jpg

Bruno Cunha

Padre Vicentino

Moura.png

Carlos Moura

Padre Vicentino

César.jpeg

César Mendes

Padre Vicentino

fernando.jpg

Fernando Soares

Padre Vicentino

gonçalo.jpg

Gonçalo Fernandes

Padre Vicentino

joao maria.jpg

João Maria Lemos

Padre Vicentino

joao soares.jpg

João Soares

Padre Vicentino

pe alves.png

José Alves

Padre Vicentino

José_Carlos.jpg

José Carlos

Padre Vicentino

luciano Ferreira.jpg

Luciano Ferreira

Padre Vicentino

M Martins.jpg

Manuel Martins

Padre Vicentino

mário.jpg

Mário Ribeiro

Padre Vicentino

P. Nélio.jpeg

Nélio Pita

Padre Vicentino

Pedro%20oficial%20(9)_edited.jpg

Pedro Guimarães

Padre Vicentino