Juntos construímos um nós maior

A 50.ª Semana Nacional de Migrações, que este ano decorreu entre 7 a 14 de agosto, acolheu o repto do Santo Padre para rezarmos esta proposta de esperança: "construir o futuro com migrantes e refugiados".

Juntos construímos um nós maior
Eugénia Quaresma
17 de agosto de 2022

Juntos construímos um nós maior: uma só família humana, é o lema que nos inspira e reflete a ação da Obra Católica Portuguesa da Migrações (OCPM) ao longo destes 60 anos. Este serviço da Conferência Episcopal Portuguesa, tutelada pela Comissão Episcopal da Pastoral Social e Mobilidade Humana, tem ao longo do tempo manifestado a solicitude da Igreja em Portugal para com a sua diáspora, imigrantes, requerentes de asilo, refugiados, deslocados internos, vítimas de tráfico de seres humanos. A seção Migrantes e Refugiados recebe as orientações pastorais para este sector.

No passado dia 1 de julho, dia de aniversário, teve a honra de receber e escutar presencialmente o padre Fábio Baggio, subsecretário do dicastério para a promoção do desenvolvimento humano integral e da seção Migrantes e Refugiados, tutelada pelo Papa Francisco. É deste sector que nos chegam todas as orientações pastorais que procuramos conhecer e divulgar.

A OCPM acompanha os agentes pastorais em Portugal, as comunidades católicas da diáspora de língua portuguesa, a capelania nacional ucraniana. Estuda o magistério da Igreja e a evolução do fenómeno no país e na UE, dialoga com estruturas congéneres a nível europeu, participa em diferentes grupos de trabalho com vista à sensibilização e advocacia, neste âmbito coordena o FORCIM - Fórum de Organizações Católicas para Imigração e Asilo, participa mensalmente das reuniões da CAVITP - Comissão de Apoio à Vítima de Tráfico de Pessoas, integra o grupo Migração e Asilo da COMECE - Conselho das Conferências Episcopais da União Europeia. Participa em diversas iniciativas da sociedade civil e autoridades estatais, relacionadas com este sector. Procuramos crescer na capacidade de trabalhar em rede e abraçamos o desafio de sensibilizar e formar.

A mensagem pontifícia de 2021, “rumo a um nós cada vez maior”, e as orientações pastorais para o diálogo intercultural, que saíram em março deste ano, permitem-nos desenhar um itinerário pedagógico que não perde a atualidade e é moldável perante as necessidades de cada lugar e de cada pessoa.
• Reconhecer e superar o medo
• Promover o encontro
• Escutar e ter compaixão
• Viver a nossa catolicidade
• Reconhecer os migrantes como uma bênção
• Cumprir a missão evangelizadora
• Cooperar com vista à comunhão

A 50.ª Semana Nacional de Migrações, que este ano decorreu entre 7 a 14 de agosto, acolheu o repto do Santo Padre para rezarmos esta proposta de esperança: "construir o futuro com migrantes e refugiados".
Duas alegrias coroaram a peregrinação do migrante e do refugiado nos dias 12 e 13 de agosto, a presença e presidência de D. Edgar Moreira da Cunha, bispo de Fall River, diocese onde reside grande diáspora portuguesa, considerada a 10.ª ilha dos Açores. e que nos brindou com uma mensagem de esperança. A segunda alegria foi retomar, após dois anos de restrições pandémicas, a vigília noturna animada pelos secretariados diocesanos de migrações, comunidades católicas da diáspora e capelania nacional ucraniana. É preciso viver o itinerário de oração proposto para se entender como é que ao longo dos tempos se tem constituído um dos pilares da OCPM.

Neste ano de aniversário em que recordamos os bispos, os agentes pastorais, sacerdotes, religiosas e leigos que se tornaram migrantes com os migrantes, dando vida e sentido a esta pastoral, também damos graças pelas comunidades cristãs e congregações religiosas, que despertaram para este fenómeno e estão disponíveis para coconstrução de um mundo mais justo, mais capaz de se comprometer com a paz, nos pequenos gestos do quotidiano.

Suportando este compromisso está o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, para o qual os Pontífices escrevem uma mensagem há mais de 108 anos. Desde 2019 este dia foi fixado pelo atual Santo Padre no último domingo do próximo mês, este ano assinalado a 25 de setembro. Um dia de celebração para toda a Igreja, mas também de reflexão e sensibilização em busca de caminhos de transformação.

Na esperança de que cada leitor(a) possa participar ativamente, gostaria de partilhar as quatro questões que o Santo Padre nos coloca e nos ajudam a ser uma família humana que, apesar da diversidade, não deixa ninguém para trás:
1. Como podemos construir um futuro em que todos vivam em paz e prosperidade?
2. O que significa colocar os mais vulneráveis no centro?
3. Como podemos promover o desenvolvimento do potencial dos migrantes e refugiados?
4. Como podemos promover um encontro enriquecedor com migrantes e refugiados?
A ideia é que o maior número de pessoas e instituições possam fazer ouvir a sua voz.
As vossas respostas deverão ser enviadas para o email: ocpm@ecclesia.pt
Assunto: Construir um futuro juntos + identificação da instituição e do local de onde nos falam.

Mesa Redonda
Missão onlife:
Cultura
Sociedade
Casa Comum
Missão