Lições bíblicas

Festa do Batismo do Senhor

Na festa do Baptismo de Jesus redescobrimos o nosso Baptismo. Como Jesus é o Filho amado do pai, também nós, renascidos da água e do Espírito Santo podemos saber ser filhos amados, amando os nossos irmãos, investidos de uma grande missão para testemunhar e anunciar, a todos os homens, o amor sem limites do Pai.

Festa do Batismo do Senhor

Celebramos hoje a festa do Baptismo do Senhor. Esta festa enquadra-se na conclusão do tempo de Natal. Deixámos o menino, na epifania, na visita dos Magos, e encontramo-lo, agora adulto, errante, nas margens do Jordão. Jesus vai ao encontro de João para ser batizado, para se poder encontrar na missão que o Pai lhe quer confiar. Jesus passa todo este tempo a viver a vida quotidiana que cada um de nós vive hoje, ora peregrino, ora migrante, ora em família. É na família que ele cresce, aprende, vive humildemente e de uma forma simples, vive todo este espaço de tempo com uma vida escondida em família. Assim, revela-nos a importância que tem para Deus cada gesto e momento da vida, até o mais simples, o mais humilde.

Jesus aproxima-se de João, pede o Baptismo, e por mais que João sinta que Jesus não necessita do seu Baptismo, Jesus insiste para, deste modo, estar ao lado dos pecadores, na fila para, também, ele se sentir purificado das suas faltas, para receber o Baptismo de penitência que João estava a administrar, para poder estar, ainda mais próximo da natureza humana para a salvar. Jesus caminha com o povo, faz o percurso do povo, com a atitude do povo, com a alma nua, sem encobrir nada e, na imersão do Baptismo, poder imergir na missão que o Pai lhe confia. Jesus salva-nos vindo até nós e assumindo os nossos pecados, caminhando lado a lado com cada um de nós.

É esta atitude que Jesus quer transmitir a cada um de nós, para que cada um caminhe ao lado do seu irmão, para poder elevar o outro, o irmão, até Deus, não julgando, não lhe dizendo o que fazer, mas estando perto dele, partilhando o amor de Deus. A proximidade é o estilo de Deus para connosco. Como afirma o Papa Francisco, a amizade é um presente da vida e um dom de Deus. Através dos amigos, o Senhor purifica-nos e faz-nos amadurecer. Ao mesmo tempo, os amigos fiéis, que permanecem ao nosso lado nos momentos difíceis, são um reflexo do carinho do Senhor, da sua consolação e da sua amorosa presença. Ter amigos ensina-nos a abrir-nos, a compreender, a cuidar dos outros, a sair da nossa comodidade e isolamento, a partilhar a vida (ChrV 151).

Na festa do Baptismo de Jesus redescobrimos o nosso Baptismo. Como Jesus é o Filho amado do pai, também nós, renascidos da água e do Espírito Santo podemos saber ser filhos amados, amando os nossos irmãos, investidos de uma grande missão para testemunhar e anunciar, a todos os homens, o amor sem limites do Pai. Estando ao lado, a caminhar com, com o mesmo amor que Ele derrama em nós, podemos amá-Lo, estendendo o seu amor aos outros com a esperança de que também estes tenham o seu lugar na comunidade de amigos fundada por Jesus Cristo. E, embora já esteja ressuscitado e plenamente feliz, podemos ser generosos para com Ele, ajudando-O a construir o seu Reino neste mundo, sendo seus instrumentos para levar a sua mensagem, a sua luz e sobretudo o seu amor aos outros (ChrV 153).

O Baptismo permite a Cristo viver em nós e, a nós, viver unidos a Ele, acolhendo pelo nosso Baptismo uma missão na Igreja, acolhendo o convite que Jesus nos faz a segui-lo «vinde e vereis», como fez aos Apóstolos – eles seguiram-no. Nós somos convidados a colaborar na Igreja, cada um segundo a sua própria condição, para a transformação do mundo. O Baptismo ilumina toda a nossa vida, é uma luz que nos guia sempre ao encontro de Deus, permitindo que as virtudes cristãs floresçam em nós.

No Baptismo é possível chegar a experimentar uma unidade constante com Ele, que supera tudo o que possamos viver com outras pessoas: «Já não sou eu que vivo, mas é Cristo que vive em mim» (Gal 2, 20). Não prives a tua juventude desta amizade. Poderás senti-Lo a teu lado, e não só quando rezas. Reconhecerás que caminha contigo em todos os momentos. Procura descobri-Lo e viverás a experiência estupenda de saber que estás sempre acompanhado (ChrV 156).

Cada um de nós pode, hoje, escutar a voz de Deus a clamar «Tu és o meu Filho muito amado», a incentivar-nos a viver a Sua misericórdia, em pequenos gestos de serviço, em cada obra de misericórdia. Deus manifesta-se, porque «O amor chama pelo amor».

Hoje, «sou eu, és tu» o servo que Deus chama para proclamar fielmente a sua justiça; o servo sobre quem Deus faz repousar o seu espírito, o servo que Deus toma pela mão.

“Firmemo-nos na confiança em Deus, que é a força dos fracos e a vista dos cegos!” (SVP)

Pe. Gonçalo Fernandes, CM