PADRES VICENTINOS: ENCONTRO ONLINE DE PÁROCOS

Pe. Álvaro Cunha, CM

20 de abril de 2021

Devido à situação de pandemia, o encontro de párocos realizou-se através da plataforma Zoom. Destinado aos confrades envolvidos diretamente na pastoral paroquial, foi, no entanto, aberto a todos os que quiseram participar.

Na segunda-feira, dia 19 de abril, teve lugar o Encontro de Párocos deste ano pastoral. Devido à situação de pandemia, realizou-se através da plataforma Zoom. Destinado aos confrades envolvidos diretamente na pastoral paroquial, foi, no entanto, aberto a todos os que quiseram participar.

Do programa constaram 3 momentos. O primeiro foi de acolhimento e oração. Deste tempo valorizar a possibilidade que as tecnologias nos possibilitam e dos espaços que criam para “estarmos juntos”. Este começa a ser um novo normal para muitas das nossas reuniões e encontros formativos.

Seguidamente deu-se a palavra para que cada um pudesse partilhar acerca do modo como tem sido vivido, nas nossas comunidades paroquiais, este ano pastoral. Aqui fomos conhecendo as dificuldades e desafios que nos trouxe este tempo de pandemia. Do confinamento e suspensão das celebrações com fiéis e soluções adotadas nas várias paróquias; das dinâmicas para a continuação da catequese; dos encontros dos vários grupos de apostolado; da prática da caridade; da disponibilidade para responder aos vários desafios em cada zona. Aqui de salientar que todos os párocos, de uma forma ou de outra, se lançaram ao caminho para estar “onlife” com a sua comunidade paroquial.

A terceira parte da reunião foi uma reflexão a partir do documento da CPE: "Desafios pastorais da pandemia à Igreja em Portugal", de 13 novembro de 2020, feita pelo D. Armando Domingues, bispo auxiliar do Porto. Recordou o essencial dos cinco capítulos do referido Documento e fez uma reflexão a partir de vários desafios.
1. “Juntos e “dentro” da(s) pandemia(s). Como voltar a partir?
2. Vida, saúde, solidão, inclusão e idosos. Como ser família?
3. A Igreja doméstica e o sacerdócio comum. “Como tornar o mundo mais doméstico”?
4. As relações e a vida comunitária. Como vencer a autossuficiência?
5. Um “Novo Anúncio. Como construir a fraternidade universal?
6. Palavra, liturgia, formação, ministérios e periferias. Que (Nova) Evangelização?
7. Comunidades sinodais, Células da Igreja em saída e Casa do Povo de Deus. Que paróquias, que comunidades?
8. Ecologia, criatividade e voluntariado. Que laicado?
Certamente que foi uma reflexão bastante positiva e motivadora, em ordem a um novo despertar na hora de dar um novo ritmo à nossa ação pastoral.

Da reflexão e do tempo de diálogo ficou esta certeza: serão tempos novos os que se aproximam, e esta transformação deve começar antes de mais em cada um dos agentes pastorais.